domingo, 15 de maio de 2011

Barcas S.A. e Empresas de Ônibus: o Caos do Transporte na Terra de Araribóia.

Não é a primeira e não será a última em que comento sobre a questão do transporte coletivo. Ao que parece é um problema que me aflige mais do que aos governantes.

Tratando especificamente de Niterói e São Gonçalo e como usuário desses transportes de longa data posso afirmar que as Barcas S.A. e as empresas de ônibus fazem com os cidadãos na atualidade é o pior serviço já realizado em muitos anos.

Lembro-me das Barcas que há 6 ou 7 anos não contavam com grandes filas de espera, a passagem era bem mais barata e contávamos com poucos atrasos. Hoje o cenário é bem diferente: filas na Praça XV que chegam até abaixo da perimetral, na estação de Araribóia chegam até à rua e dobram de volta, aumentos e mais aumentos no valor das passagens, superlotação das estações e não raras confusões. As novas embarcações chamadas de catamarãs prometeram diminuir o tempo de viagem, o que de fato aconteceu, mas em contrapartida sofremos com o calor insuportável , pois o sistema de refrigeração não é ligado e as pequenas janelas não dão vazão.

O próprio embarque já é um teste e tanto de paciência. Em horários de rush são em média de 20 e 30 minutos só do lado de fora esperando passar pela roleta. Quando você finalmente consegue entrar são pelo menos 10 minutos esperando a abertura das 'portas' e esperando a barca atracar, encher e partir. Contando com os supostos 15 minutos da travessia são no mínimo 45 minutos para chegar ao outro lado da baia.

E a cereja do Bolo veio com o excelente benefício promovido pelo nosso brilhante governador, Sérgio Cabral, de extinguir as barcas da madrugada e em 'troca' disso também conceder isenção de ICMS no preço do bilhete. Logicamente devíamos pensar que os preços dos bilhetes sofreriam uma redução, não? Exatamente isso, NÃO, e continuamos a pagar R$ 2,80.

Nos últimos dias tive provas cabais da pouca vontade das Barcas S.A. em melhorar o serviço. Determinado dia três barcas atracaram ao mesmo tempo na estação de Niterói. Penso comigo, porque não fazem o mesmo nos horários de maior fluxo? Estou até agora tentado achar respostas.

Postei algumas fotos das filas para reforçar minha fala, mas infelizmente não tenho dos tumultos recentes nas estações , pois os seguranças me proibiram de tirá-las, obviamente se fosse mostrando algo bacana, uma ação social, até mesmo o segurança se prontificaria a tirar.

Com relação aos ônibus a coisa pouco muda. O lugar comum é encontrar o terminal de Niterói abarrotado de gente. O lugar conta com diversos corredores para acesso aos ônibus e não são raras as vezes que a fila sai do ponto do ônibus passa pelo corredor e fica caminho principal onde ficam diversas lojas.

Aclamado como um dos melhores terminais do estado, o Terminal João Goulart conta com tetos onde podemos ver espécies de estalactites, isso mesmo, aquela formação em teto de cavernas provocada pela ação da água. Em seu penúltimo corredor impera a desordem. Várias linhas fazem ponto final em apenas um único lugar, como por exemplo, a viação Nossa Senhora do Amparo que tem as linhas 535,536,537 com ponto final exatamente no mesmo lugar.

Em relação estritamente aos veículos o que não falta é desconforto e atrasos. Retomando à N. S. do Amparo como exemplo, sua linha 536 possui poucos coletivos e em determinados horários sua espera pode chegar a 35 ou 40 minutos. Em finais de semana então... É mais fácil encontrar uma Arara Azul, uma Águia Careca Americana e um Mico Leão Dourado no mesmo lugar do que ver um 536, o intervalo é de no mínimo 1 hora.

Outro grande exemplo é a viação Pendotiba que dentre diversas linhas detém 35,40, 46, 48, etc e há algum tempo passou ficar com as linhas 770 e 771 de Pendotiba e Itaipu ao Centro do Rio cujos horários seguem com certa normalidade por uma semana, mas no restante do mês fica-se a mercê da boa vontade do trânsito. Alias é essa a desculpa utilizada pela empresa para os frequentes atrasos. Como 'solução' foi disponibilidade um telefone que oferece a posição do próximo ônibus através de um rastreamento por GPS, mas penso... de que adianta GPS se não há disponibilidade de carros para 'furarem' o trânsito e conseguir diminuir a espera. De que me adianta saber que vou chegar atrasado, o que eu quero é ônibus no horário. A mesma linha conta com ônibus comuns extremamente desconfortáveis até para pessoas de baixa estatura e carros com ar que quebram em número acima do tolerável. Em questão de superlotação poucos a superam. A linha 35 Baldeador - Terminal deve nutrir paixão pelo calor humano, só assim para compreender que até mesmo em finais de semana e em horários, aparentemente tranqüilos, o mesmo esteja sempre lotado. No verão é um exercício de persistência.

Obviamente que os problemas aqui relatados não são exclusividade daqui atingindo praticamente todo país e isto só aumento o meu desalento.

Aqui no Brasil institui-se como solução do transporte o carro. E isso não é solução em nenhum lugar mais ou menos desenvolvido, pois a quantidade excessiva de carros agrava não somente o tráfego (3 carros ocupam o lugar de um ônibus e enquanto o primeiro pode carregar apenas de 3 a 15 pessoas o ônibus levara em média 40) como também aumenta a poluição. Não que a compra deve ser dificultada, afinal carro não pode ser símbolo de status e deve ser direito de todos tê-lo, mas o que deve-se trabalhar é em relação ao seu uso em dias de semana, atribuindo-o mais como um instrumento para o lazer do que como meio de transporte para o trabalho. Com o desenvolvimento de um transporte coletivo eficaz poderão ser implementadas estratégias para inibir o uso do carro ou usá-lo de modo mais sustentável (caronas entre pessoas que moram e trabalham em locais próximos) e que já existem em outra cidades como rodízios e pedágio urbano.








2 comentários:

  1. MANIFESTAÇÃO POR MELHORIAS NAS BARCAS

    Segunda, 23 de maio das 07:00 às 10:00
    Localização
    Estação das Barcas na Praça Araribóia. Centro de Niterói.

    OU AS BARCAS MUDAM, OU MUDAMOS AS BARCAS!!!

    No dia 22 de março de 1959, há 52 anos, a população de Niterói revoltou-se contra os péssimos serviços prestados pelas Barcas e com o aumento das passagens. As filas eram enormes e o desconforto da travessia também. Alguma coisa parecida com hoje?
    Há 52 anos as pessoas se revoltaram e fizeram a maior revolta da história de Niterói. Por conta da Revolta, as Barcas voltaram para as mãos do Estado e melhoraram o serviço.
    Hoje as filas são enormes, os preços sobem abusivamente, as Barcas da madrugada pararam de circular, a construção de uma estação em São Gonçalo para desafogar a de Niterói (cláusula do contrato de concessão) não sai do papel.
    Já está mais do que na hora de dizermos um basta! Participem da manifestação na estação Niterói!!!
    Criado por
    Carlos Alberto Lucio Bittencourt

    ResponderExcluir
  2. Deu no blog do Ancelmo Gois.

    Barca à deriva
    Depois de mais de 15 minutos à deriva, a barca Neves acaba de atracar no cais da Praça de Araribóia, em Niterói.

    Houve tumulto e foi necessário que vários funcionários da empresa puxassem a embarcação por cordas. A assessoria de imprensa da Barcas S.A chegou a negar o problema. No entanto, uma das passageiras, em contato por celular com a coluna, avisou que a barca estava à deriva e que havia gritaria a bordo. Depois, a assessoria de imprensa disse que um dos motores da embarcação havia havia falhado.

    - Os passageiros começaram a tirar os salva-vidas do banco. Um rapaz começou a chutar as janelas e as portas. Foi horrível. Não tínhamos informações dentro da embarcação. Todos entraram em pânico - desabafou a passageira Denise Telles.

    A assessoria de imprensa da Barcas S/A dá uma nova versão sobre a barca que ficou à deriva há pouco na Baía de Guanabara. Leia e tire sua conclusão.

    "Na tarde desta quarta-feira, dia 25/5, o catamarã social Neves apresentou problema técnico em um dos motores, quando fazia a viagem das 15h20 no trajeto Praça XV-Niterói. Próximo à estação Araribóia, o comandante realizou manobra de inversão de proa (procedimento normal nesses casos), para atracar a embarcação com segurança às 16h. Em nenhum momento o catamarã ficou à deriva. Os outros horários não foram alterados e a operação segue sem problemas, com duas viagens extras programadas no trajeto: 18h05 e 18h35.

    Os passageiros do catamarã Neves foram devidamente informados pelo comandante da embarcação sobre o ocorrido, durante a manobra de atracação.

    A segurança do passageiro é a premissa básica da concessionária Barcas S/A. Todos os procedimentos adotados foram realizados obedecendo às normas da navegação."

    ResponderExcluir