terça-feira, 26 de outubro de 2010

Cruzada na Calada da Noite.

Numa eleição que impuseram decidir por questões moralistas, a direita aproveita até a calada da noite para propagar seus ideais preconceituosos e conservadores.


A figura de Silas Malafaia, que vocifera contra o capeta em seus cultos, resolveu 'apoiá-lo' em seus programas  noturnos na pelega BAND.


No primeiro dos videos abaixo o líder do Ministério Malafaia critica o PT, em particular a deputada petista Iara Bernardi (não reeleita) autora da 'exdrúxula', segundo o pastor, PL 122/2006 que torna crime a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero - equiparando esta situação à discriminação de raça, cor, etnia, religião, procedência nacional, sexo e gênero, ficando o autor do crime sujeito a pena, reclusão e multa, alterando a Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989.


Com base neste argumento o pastor expõe sua preferência pelo tucano, não sem antes mencionar que trata-se de SUA opinião, como se seus seguidores e admiradores não estivessem naquele momento sendo influenciados por seu líder.


O pior veio depois, a aparição, constrangedora de Malafaia no horário político de Serra. Esse apoio agora esta sendo questionado por vários setores  religiosos e leigos. Primeiramante pela óbvia influencia da posição deste aos seus fiéis e em segundo, pela mudança de posição do pastor em relação ao PSDB que atacou quando a prefeitura tucana de São Paulo fechou um templo de uma outra Igreja. No programa que está rolando na net, Malafaia alerta aos fiéis para que fiquem atentos às próximas eleições (que ainda não seriam estas agora), pedindo para se atentarem principalmente as alianças destes partidos que fecham igrejas.


Em ato contínuo, Edir Macedo, tio de Crivella, senador que apoia o PT, também criticou duramente Silas Malafaia em seu blog, chamando-o de 'velho profeta' e levantando quais seriam os reais interesses de Malafaia em apoiar Serra. A réplica veio rápido e em seu programa, Malafaia só não chamou Macedo de bonito.


A guerra santa fica completa com participação de setores retrógrados da Igreja Católica que, se utilizando dos mesmos argumentos dos evangélicos, promove um terrorismo eleitoral com a impressão de folhetos atacando a candidata petista e santificando o 'bastião' da moralidade, Serra.


Fico pensando que nós, brasileiros, detentores de uma tolerância digna de Jó, criticamos tanto os países que lutam sob pretexto da religião, estamos nesse momento promovendo uma cruzada moral maniqueísta que poderá nos levar de volta às trevas.


O mais impressionante é pensar que uma pesquisa do CNT/Sensus em 2002 identificou que 61,9% dos eleitores mudariam seu voto caso o candidato fosse a favor do aborto e 50,3% em relação a aceitação da união homossexual. É duro pensar que em 8 anos podemos ter mudado muito pouco nossa mentalidade e continuarmos a definir o futuro do pais baseados em dois temas que refletem muito mais nossas questões morais do que práticas. Educação, Saúde para Todos, Emprego, Moradia, pra quê se ater a esses detalhes?




2 comentários:

  1. O que vivemos hoje é um retrocesso terrível do pouco que acumulamos nesses anos de governos mais democráticos. Quando pensávamos que não era possível nada mais absurdo assistimos tontos, a coligação das lideranças religiosas (protestantes e católicas) + a ala ultra conservadora dos pseudos partidos políticos(porque mais se parecem facções criminosas). Não sei aonde isso vai parar, só sei que independente do resultado dessa eleição, fica um desafio monumental para as pessoas com o mínimo de bom senso nesse país, qual seja, o de recolocar nas arenas de debate, urgentemente,o debate sobre a necessidade e a importância de um ESTADO LAICO!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Brilhante!
    Só para constar, a Isto É desta semana traz justamente este assunto e revela as ligações ultra conservadoras que apóiam a candidatura Serra, entre elas: Kelmon Luiz que encomendou os panfletos da CNBB é presidente da Associação Theotokos, organização católica ultra conservadora e membro de um projeto de partido sob a alcunha de Partido Monarquista Brasileiro. A Sociedade Brasileira de Defesa de Tradição, Família e Propriedade também mantem ligações estreitas assim como remanescentes do Integralismo.

    ResponderExcluir