quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Barcas S.A. Vergonha Estadual

O primeiro post deste Blog será para aumentar o filão dos que não aguentam mais os serviços prestados pelas Barcas na travessia Rio-Niterói. Não são novidades os frequentes atrasos, confusões e reclamações quanto aos serviços prestados pela concessionária. 


Ontem, dia 02/09/2009 no retorno para Niterói por volta das 18:00 novamente foi presenciado o mesmo desrespeito aos usuários. Filas enormes, hiperlotação do terminal de embarque, falta de barcas* etc. Hoje, dia 03/09/2009, no embarque na estação de Charitas (Serviços de catamarã ao custo de R$ 8,00 normal ou no meu caso R$ 4,20 + R$ 7,00 do onibus integração) novos atrasos em consequencia, segundo representantes da empresa, da grande demanda. O tempo de espera chegou à 35 minutos (mais do que o dobro do intervalo entre as embarcações) que somados a travessia de 20 quase chegam a 1 hora.



Os usuários estão cansados de tanto descaso. Paga-se por um serviço caro e que não apresenta uma qualidade a altura. Até uma CPI foi montada na Alerj para investigar a concessionária. 


O deputado estadual Gilberto Palmares é o presidente da CPI e conta com José Nader, como relator, e Conte Bittencourt, como vice-presidente. O seu relatório final foi aprovado em 09/06/2009.



Os principais propostas da CPI estão descritas abaixo.

. O retorno da barca da madrugada
. A redução das tarifas para Paquetá, Ilha Grande e Ilha do Governador
. A utilização dos recursos do ICMS pagos por Barcas na melhoria das linhas de Paquetá, Ilha do Governador, Ilha Grande e implantação da estação em São Gonçalo
. A garantia do oferecimento de 12 mil lugares nos horários do rush na linha Rio/Niterói/Rio
. A realocação dos quiosques do terminal da Praça XV
.Validação do Riocard em todas as roletas
. A abertura do edital de licitação para a estação de São Gonçalo
. Apresentação de projeto de lei estabelecendo um tempo de vida útil para as embarcações
. A construção, por Barcas S/A, das três embarcações previstas no empréstimo feito junto ao BNDES
. A implantação do bilhete único no próprio sistema, permitindo que os usuários possam reembarcar em qualquer estação sem pagar nova passagem
. Implantação, a curtíssimo prazo, do sistema de integração intermodal
. A realização, pelo governo do estado, de estudos que permitam a instalação de uma estação de passageiros em um dos armazéns do porto
. Recomendar ao governo do estado que as multas aplicadas sejam realmente pagas e não supostamente revertidas em benefício dos usuários.
A CPI aprovou ainda regras para futuras concessões, estabelecendo que os novos contratos proíbam o controle acionário das concessionárias de serviços públicos de transporte de passageiros por acionistas de modais concorrentes.


Irei postar mais tarde algumas fotos que evidenciam a luta diária dos usuários para usar esse meio de transporte.


Veja Também meu recente post: Barcas S.A. e empresas de ônibus: o caos do Transporte na terra de Araribóia."

Um comentário:

  1. É isso aí Mahet! Moro na Ilha do Governador e passo pelos mesmos problemas. Esperemos que o clamor público sensibilize as autoridades responsáveis e que nos lembremos deles já que as eleições se aproximam.

    ResponderExcluir